NOTÍCIAS

Mitos e Verdades sobre o Calcário

06/03/2018

Mito Verdade Explicação
Calcário de PRNT maior reage mais rápido. Calcários de qualquer PRNT reagem no mesmo tempo, desde que se respeite a equivalência das doses. O PRNT (Poder real de neutralização total) é um indicador que define o quanto do calcário reage em três meses. Como o cálculo da necessidade de calagem leva em consideração este índice, todos os calcários terão seus efeitos máximos em até 3 meses.
Calcário de PRNT maior é melhor PRNT não é um indicador de qualidade e sim um indicador de reatividade. Os calcários Kraemer tem um gradiente granulométrico ideal, que permite uma distribuição uniforme com baixos índices de deriva, e um efeito residual excelente que prolonga os efeitos da calagem.
Calcário moído mais grosso é pior Calcários moídos mais grosso proporcionam uma aplicação mais eficaz. A deriva pelo vento pode causar perdas de mais de 20% do calcário aplicado, além disto, calcários mais grossos, desde que as partículas maiores não sejam superiores a peneira 10 (ABNT), tem efeito residual maior.
Ficou tarde para fazer a calagem é melhor não fazer A calagem deve ser feita, se possível, com antecedência de três meses do plantio. Caso não seja possível deve ser feita a qualquer tempo. Os três meses são importantes para que o calcário atinja seu efeito máximo. O calcário começa a reagir e trazer efeitos positivos imediatamente após sua aplicação, desde que tenha a presença de umidade.
Em anos ruins é melhor cortar a calagem e manter a adubação A forma mais correta de determinar a necessidade de calcário ou fertilizante é através análise de solo, tendo em vista que fazer adubação em solos ácidos é um desperdício. Os nutrientes mais importantes ficam indisponíveis para as plantas em solos ácidos, portanto é mais importante garantir um solo corrigido em termos de Ph, pois pelo menos garante a disponibilidade dos nutrientes existentes. Além disto a calagem aumenta o desenvolvimento radicular que permitirá com que as raízes explorem um volume maior do solo.
Plantio direto precisa de menos calcário A pesquisa demonstrou que a recomendação ideal para o plantio direto deve ser igual a do plantio convencional. Considerar para calagem em plantio direto apenas a camada de 5 cm de solo faz com que se corrija apenas a superfície do solo e torne as plantas suscetíveis aos veranicos.
O Gesso substitui o calcário O gesso não corrigi a acides do solo e tem pouquíssimo magnésio, portanto ele não substitui o calcário. O Gesso tem a função de precipitar o alumínio e fornecer o Ca em profundidades que o calcário não atinge.
A única função do calcário é a correção da acidez do solo. A correção do solo é a principal função do calcário, mas ele também é a fonte mais barata de dois importantes nutrientes, o Cálcio e o Magnésio O Cálcio é um macronutriente importante para a formação dos caules, aumentando a produção de matéria seca e a resistência ao acamamento e o Magnésio é importantíssimo para a produção e acúmulo de açúcar e também aumenta a resistência das plantas ao calor.
Calcário somente deve ser aplicado antes do plantio A melhor hora de se aplicar calcário é no plantio devendo ser incorporado no solo, mas também deve ser utilizado em plantas adultas para fornecimento de Cálcio e Magnésio. O calcário aplicado em cobertura na soqueira da cana ou em culturas perenes é uma barata e importante fonte de Cálcio e Magnésio, nutrientes essenciais ao desenvolvimento e produção das plantas.
O único critério para escolha do tipo de calcário é o preço do produto O melhor critério de compra de calcário é o que leva em conta o preço do calcário, preço do frete, PRNT, efeito residual e deriva. O preço do calcário é definido pelo custo da extração. Calcário de origem sedimentar tem custos de extração maiores e são mais caros, porém por conta do frete, efeito residual e menor deriva podem ser uma melhor opção.
O calcário é higroscópico, sendo que seu uso tira água do solo e pode “queimar” ou secar as raízes. O calcário não é higroscópico, sendo que a calagem protege a planta dos veranicos. A calagem proporciona um melhor desenvolvimento radicular, que por sua vez permite com que a planta aproveite melhor a água existente no solo.
Pastagens, cana-de-açúcar e outras gramíneas são resistentes a solos ácidos e não precisam de calagem. Todas as culturas comerciais somente obtêm seu potencial máximo e/ou econômico de produção através da calagem. Os solos brasileiros são ácidos por natureza. A acides indisponibiliza nutrientes importantes. A produção das plantas é limitada pela quantidade dos nutrientes indisponíveis. A única forma de atingir o máximo de produção para qualquer cultura é fornecendo os nutrientes requeridos pelas plantas em um solo corrigido.
A extração de calcário é danosa ao meio ambiente. A mineração de calcário somente é permitida com a obtenção das licenças de operação dos Orgãos Ambientais competentes, onde se determinam a forma de extração e recuperação das áreas afetadas. Além disto a calagem proporciona a correção de uma área muito maior. Áreas corrigidas ficam muito mais protegidas contra efeitos da erosão. Além disto o aumento da produção permite o melhor aproveitamento das áreas e evita o desmatamento desnecessário.